Certificado Internacional de Vacinação: saiba para que serve e como tirar o seu!

Categorias:

Utilidades
Compartilhe:

Viajar é preciso, disse Fernando Pessoa. Mas, também é preciso alguns cuidados e obrigações, principalmente em se tratando de viagens internacionais. Um desses cuidados é com a nossa saúde. Quem acompanha as publicações aqui já sabe que faço questão de tocar no assunto. Afinal, não dá para curtir uma viagem por inteiro se não estiver tudo em ordem com você, certo?

Quando pensamos em documentos para viajar, logo lembramos do visto e passaporte. Porém, existem outros documentos que não podem ficar de fora. Por isso, o assunto de hoje é o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), pois este é um documento obrigatório em alguns países.

 

O que é o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)?

O CIVP é o documento para comprovar às autoridades de imigração que o viajante está com as vacinações em dia, principalmente as exigidas para entrar em alguns países. Quem criou a medida foi a Organização Mundial de Saúde (OMS) por meio do Regulamento Sanitário Internacional.

O objetivo do CIVP é prevenir a entrada de doenças no país de destino e também evita o contágio do viajante por alguma enfermidade local. Essa preocupação é válida, pois nem sempre uma população é resistente a certos agentes infecciosos (como vírus e bactérias) que pessoas de outros países podem trazer.

Para não restar dúvida sobre a importância do CIVP, basta olhar para a nossa História. Um dos exemplos icônicos foi o surto de varíola iniciado há 3 mil anos no Egito, que atormentou o Japão séculos depois e chegou às Américas no século XVI, quando os colonizadores espanhóis transmitiram a epidemia para os astecas.

Quem deve ter o Certificado?

Imagem: bangkokpost.com

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia deve ser solicitado por todo brasileiro que viaje para algum país cujo documento é exigido na área de imigração. Isso vale também para escalas e conexões, viu? Portanto, preste bastante atenção aos países onde você irá pousar, mesmo que por um breve momento. Se a pessoa não estiver com documento que exigirem, não poderá seguir viagem.

Quais os países que exigem o CIVP?

Os países que exigem CIVP e a lista de vacinas obrigatórias variam constantemente. Algumas vacinas saem da lista, outras entram. Tudo depende dos surtos endêmicos e do controle de agentes infecciosos feitos em cada região.

Por isso, o lugar mais seguro para você consultar é o site da Anvisa. Lá você encontra informações oficiais e atualizadas de praticamente todos os países.

Em caso de dúvida, você pode também consultar a embaixada ou consulado do país.

 

Febre Amarela, a mais temida

Para os brasileiros, os países costumam exigir a vacina contra febre amarela mais do que outras doenças. Mas, isso não impede que eles exijam outras vacinas também.

Lembre-se que prazo mínimo para a vacina de febre amarela fazer efeito é de 10 dias. Portanto, alguns países podem barrar a entrada, caso o viajante tenha se vacinado antes do prazo mínimo permitido.

Como a vacina de febre amarela é a mais comum no CIVP dos brasileiros, é importante sabermos algumas informações sobre ela.

Atenção: existe diferença entre a Dose Única e a Dose Fracionada!

Um detalhe importantíssimo é que o CIVP não reconhece a dose fracionada da vacina contra febre amarela. Para saber se a vacina que você tomou é única ou fracionada, verifique no seu cartão de vacinas. Caso perceba que a vacina foi dose fracionada, vá a um posto do SUS ou clínica particular para receber a dose única.

Validade

Em 2014, a OMS reconheceu que uma única dose de vacina contra a febre amarela já é o suficiente para proteger as pessoas pelo resto da vida. Portanto, se você tomou a sua dose única, já está protegido. Ou seja: mesmo que você já tenha o Certificado Internacional de Vacinação antes de 2016, não precisa renová-lo.

E quem não pode se vacinar?

A OMS concedeu isenção da vacina para alguns casos específicos. Ainda assim, é necessário apresentar um atestado de isenção de vacina, que deve ser assinado e carimbado por um médico devidamente regulamentado.

A própria Anvisa oferece um modelo de atestado de isenção que você encontra no site e deve imprimir e levar para o médico assinar

Veja a lista de isentos:

  • Crianças menores de 9 meses de idade

  • Mulheres amamentando crianças menores de 6 meses de idade

  • Pessoas com alergia grave ao ovo

  • Pessoas que vivem com HIV e que têm contagem de células CD4 menor que 350

  • Pessoas em tratamento com quimioterapia/radioterapia

  • Pessoas com doença autoimune

  • Pessoas submetidas a tratamento com imunossupressores (que diminuem a defesa do corpo)

  • Alérgicos à vacina

 

Como solicitar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP)?

Primeiramente, para solicitar o certificado é preciso que o seu cartão de vacinação esteja atualizado. Portanto, confira os países que exigem o CIVP e as vacinas necessárias. Vacine-se!

Com as vacinas em dia, começa o processo de solicitação. Antigamente só era possível solicitar o CIVP se o viajante fosse pessoalmente ao Centro de Orientação para a Saúde do Viajante. Mas, a partir de 2019, o processo pode ser feito no site do Governo Federal.

Se você prefere fazer a solicitação pessoalmente, o endereço da Anvisa em Belém do Pará é:

ANVISA Aeroporto de Belém
Endereço: Av. Júlio César s/n° – Aeroporto Internacional Val-de-Cans – CEP: 66115970 – Belém – PA.
Atendimento: Segunda a sexta, das 8h às 12 e 13h às 17h.
Fone: (91) 3257-8813

Lembrando que a emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia é gratuita.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2016 Julia Maiorana | Desenvolvido e gerenciado por gCampaner

Muitas imagens utilizadas neste blog vêm de fontes diversas e muitas vezes não autorizadas. Se alguma foto de sua autoria estiver no blog e você desejar a remoção ou os devidos créditos, por favor envie um email para [email protected] que prontamente atenderei à solicitação.