Roteiro de 2 dias em Porto

Categorias:

Destinos,Europa
Compartilhe:

A série sobre minha viagem de carro por Portugal parece estar ajudando muita gente! Tenho recebido várias mensagens com elogios, complementos de dicas e dúvidas. Já fiz um post contando sobre os melhores pontos turísticos de Porto, mas resolvi ajudar ainda mais quem pensa em passar pela cidade montando um roteiro de 2 dias em Porto, só com o que é realmente imperdível.

Bom, saímos de Coimbra por volta das 17h e fomos em direção a Porto. São 122Km e fizemos em cerca de 1h30. Quando chegamos, já estava escuro, mas de cara deu para perceber o charme da cidade. Deixamos as coisas no hotel, jantamos no restaurante dele mesmo e, como eu já estava com mapa e roteiro em mãos, saímos para dar uma caminhada para conhecer as redondezas.

Fomos até a Estação São Bento, que estava linda, toda iluminada. Entramos para conhecer seu interior e depois caminhamos até o início da Avenida dos Aliados, uma das principais da cidade, bem larga e deliciosa de passear, onde fica a Igreja Santo Antônio dos Congregados.

Onde se hospedar em Porto

Escolhemos nos hospedar no Hotel Porto A.S. 1829, um 4 estrelas que fica em um prédio histórico bem no Largo de São Domingos. Os quartos são limpos, num estilo clean com um toque de modernidade. A banheira antiga, daquelas com pezinhos, fica dentro do quarto. A localização é ótima, bem central, no início da Rua das Flores, onde tem várias lojinhas, restaurantes e barzinhos charmosos.

O restaurante do hotel, o Galeria do Largo, foi onde jantamos nessa primeira noite porque estávamos muito cansados. É muito bom, bem aconchegante e com espaço aberto para o Largo de São Domingos. Ali funcionava uma antiga galeria de arte, onde artistas da cidade expunham suas obras.

#Diquinhadaju: A maioria dos hotéis não têm estacionamento, mas isso não deve ser um impeditivo para você na hora da escolha. Geralmente, eles têm convênios com estacionamentos próximos – o nosso era a apenas 100 metros do hotel.

Roteiro de 2 dias em Porto

Dia 1

Manhã

Depois de tomar o café da manhã no hotel, como o dia estava frio e nublado, optamos por fazer um passeio de carro até Matosinhos, uma cidadezinha próxima. Mas, o ideal é, num dia bonito, pegar o bondinho na Ribeira e passar por toda a orla até chegar no encontro do Rio Douro com o Oceano Atlântico. Por ali, tem praia, tem a Fortaleza de São João da Foz, o Forte de São Francisco Xavier e também o Aquário Sea Life. Por conta do vento e frio intenso, fomos somente no Forte, demos uma volta de carro e voltamos para Porto, já com o céu limpo e perto da hora do almoço – não preciso nem dizer que eu estava faminta.

Forte São Francisco Xavier, em Porto, Portugal

Almoço

Deixamos o carro no estacionamento e descemos até a área da Ribeira, onde tem vários restaurantes e bares com vista para a Ponte Luiz I.

Café do Cais: Escolhemos almoçar ali por ter um ambiente agradável com um visual daqueles que dá vontade de ficar sentado nas mesinhas normais, altas ou nos sofás o dia todo apreciando um vinho, as cores e traços de Porto. Eu comi um atum selado com crosta de gergelim, muito saboroso. Já meu namorado escolheu um spaghetti nero com frutos do mar que eu aprovei e era sensacional.

Tarde

A Ponte Luis I liga Porto à Vila Nova de Gaia, onde tem um teleférico. Como estávamos na orla, subimos para atravessar e passamos pela Catedral da Sé, ponto turístico indispensável e de onde se tem uma vista muito bonita de Porto. Dali, atravessamos a ponte em direção ao teleférico. Da ponte, a vista é lindíssima!

O teleférico de Vila Nova de Gaia liga a Praça da Super Bock, no Cais de Gaia, ao Jardim do Morro, na Avenida da República e o visual da cidade e do Rio Douro é muito lindo e esse trajeto é feito em 5 minutinhos. Os bilhetes podem ser comprados já ida e volta (€ 9), como nós preferimos, ou só um trecho (€ 6). Tem pacote família por € 20,00 que inclui ida e volta para 2 adultos e 2 crianças.

O bilhete dá direito à uma taça de vinho do Porto logo que você desce do teleférico. Ali pelo Jardim do Morro há várias cavas (vinícolas de vinhos do Porto) para conhecer e visitar – dá para conhecer os vinhedos, a produção dos vinhos, a história e ainda degustá-los. Esse é um dos programas mais famosos da região e valem muito pena.

Como esse passeio que demanda tempo e nós tínhamos só 2 dias por ali, optamos por não ir, mas fomos ao Mercado Municipal de Gaia, que é uma graça. Lá, há diversos quiosques de petiscos, queijos e embutidos, tábua de frios, doces e vinhos.

Lá em cima, vi uma placa que dizia “transfer para El Corte Ingles” e decidimos aproveitar essa carona para ir até essa famosa loja de departamento que tem de tudo: serviços do dia a dia (manicure, massagem, lavanderia), supermercado, praça de alimentação e andares dedicados a perfumaria, acessórios, vestuário. É incrível, completa, mistura marcas acessíveis com as tradicionais marcas de luxo. Vale a pena conhecer.

Bem em frente à loja tem estação de ônibus que leva até Porto mas, como estávamos cansados, resolvemos pegar um taxi de volta e paramos no Café Majestic para jantar. Foi e melhor coisa que fizemos porque, geralmente, de dia tem fila e à noite estava super tranquilo.

Jantar

Café Majestic: Localizado na charmosa Rua Santa Catarina, uma rua fechada, que tem varias lojas o prédio onde fica o restaurante é uma construção dos anos 20, da Belle Époque, e o espaço por si só já conta a história. Ambiente antigo, muito bonito, com atendentes super atenciosos. Eles servem lanches e pratos de comida. A dica é pedir a Francesinha, prato típico do Porto.

Voltamos andando pro hotel e exaustos. Nossa ideia inicial era ficar só mais essa noite e pegar estrada cedinho no dia seguinte, mas achamos Porto tão encantadora e tínhamos tanto para ver, sentir e experimentar que decidimos ficar mais.

Eba! De repente tínhamos mais um dia inteiro, outra noite e uma manhã ainda pra aproveitar.

Dia 2

Manhã

Acordamos um pouco mais tarde e, por isso, decidimos tomar um café rápido e simples na rua antes de bater perna. Fomos pela Rua das Flores em direção à Estação São Bento e, por ali, paramos em um café para comer algo e tomar alguma coisa quente.

Abastecidos, estávamos prontos para nosso roteiro do dia, que começou com a Igreja dos Clérigos, uma construção em estilo tardo-barroco, onde fica a Torre dos Clérigos. Para chegar ao alto da Torre e desfrutar da vista 360º de toda a cidade de Porto é preciso subir 240 degraus. É super tranquilo e não cansa, mas como o espaço é pequeno, não recomendo para quem tem claustrofobia. Para quem não tem, garanto que vale a pena!

De lá, partimos para a Livraria Lello, também conhecida como Livraria Chardron. Ela é considerada uma das bibliotecas mais bonitas do mundo e serviu de inspiração para J.K. Rowling para uma das cenas do filme Harry Potter e a Câmara Secreta. Para entrar, é preciso pagar uma taxa de 3 euros e caso você compre algo lá dentro, esse valor é descontado. Vale a pena ficar de olho na programação antes de ir pois sempre rolam umas coisas muito legais. Tenho certeza de que, como eu, você se encantará!

Caminhamos mais um pouco até a Igreja do Carmo, mas só vimos por fora. Já tinha passado da hora do almoço e a fome bateu.

Igreja do Carmo

Foi aí que vimos umas pessoas passando com pedaços de pizza de tabuleiro e, como queríamos apenas beliscar, falei “eu quero!”. Bem na lateral da Igreja dos Clérigos fica o  Hand`Go TakeAway, um espaço bem pequeno que vende pizza de balcão. Deliciosa e barata!

Tarde

Barriga cheia, continuamos nosso passeio até o Mercado do Bolhao, caminhando pela Avenida dos Aliados, passando pela Câmara Municipal de Porto e a Igreja da Santíssima Trindade. O Mercado do Bolhao é o mercado local, onde vende-se carnes, peixes, frutas, flores e quinquilharias típicas das lojas de souvenirs. São vários andares e as vendas ficam em torno do pátio central. Ali, dá para conhecer um pouco da história de Porto. Em uma das esquinas do mercado tem a Confeitaria Manteigaria, consideradas uma das melhores e famosas fábricas de pastéis de nata (falei dela no post sobre o que comer em Portugal).

No caminho de volta para o hotel, fomos pela Rua Santa Catarina (aquela com várias lojas, restaurantes e farmácias) e passamos em frente ao Teatro Nacional São Jorge.

Rua Santa Catarina

Noite

Como era nossa última noite, queríamos um restaurante aconchegante e gostoso. O escolhido foi o Cantinho do Avillez, do Chef Jose Avillez (também falei dele no post sobre gastronomia portuguesa), pertinho do nosso hotel, numa paralela à Rua das Flores, a Rua Mouzinho da Silveira. A melhor opção é  reservar mas, como decidimos de última hora, não fizemos isso. Como éramos apenas dois, esperamos uns 20 minutos e sentamos.

O restaurante não é muito grande, tem meia luz e super charmoso. O sabor é maravilhoso e o preço é justo. Não preciso nem comentar que fiquei apaixonada pela comida dele. Lá, pedi um risoto de frutos do mar com vieras. Sou apaixonada por vieiras!  Água na boca só de lembrar.

Dia 3

Acordamos um pouco tarde para descansar mesmo. Tomamos café e saímos, tristes, de Porto por volta das 11h da manhã, com aquela vontade de ficar e pensando que “na próxima vamos ficar mais tempo”.

Confesso que fiquei encantada com Porto. A cidade agradou, as pessoas são muito simpáticas, e come-se muito bem. Combo perfeito, né?

 

 

Tags:
Compartilhe:

Deixe um comentário

2016 Julia Maiorana | Desenvolvido e gerenciado por gCampaner

Muitas imagens utilizadas neste blog vêm de fontes diversas e muitas vezes não autorizadas. Se alguma foto de sua autoria estiver no blog e você desejar a remoção ou os devidos créditos, por favor envie um email para [email protected] que prontamente atenderei à solicitação.