Turismo pós-quarentena: Você está preparado?

Categorias:

Utilidades
Compartilhe:

Texto publicado originalmente na Coluna Bora Ali do Jornal O Liberal

Turismo pós-quarentena: A Covid-19 foi responsável por mudanças bruscas na nossa vida. Porém, nem todas. Algumas delas só se aceleraram dadas as novas condições: o trabalho remoto, empresas cada vez mais presentes na internet e a cobrança por instituições mais responsáveis socialmente são alguns desses exemplos. 

O turismo acompanha as mudanças. Este mercado foi um dos tantos prejudicados por conta da pandemia. Eventos adiados, hotéis e restaurante falidos, pontos turísticos vazios… um verdadeiro colapso se estabeleceu no mundo das viagens e mudanças de longo prazo serão percebidas, tanto para negócios quanto para lazer.

Canais de Veneza em tempos de isolamento social: sem turistas, os canais voltaram a ficar cristalinos. Imagem: Andrea Pattaro / AFT

Enquanto não encontramos a vacina ou algum remédio realmente eficaz contra o Coronavírus, especialistas fazem previsões do que será o “novo normal” no mercado de viagens. Reuni alguns pontos interessantes sobre essas previsões para te fazer uma pergunta: será que você está preparado para o turismo pós-quarentena?

Lembrando que vivemos uma situação inédita e o rumo de tudo pode mudar em questão de dias. Ou não. Ninguém sabe o que está por vir, mas temos alguns palpites. Confira!

Quando voltaremos a viajar?

Não existe uma resposta clara para essa pergunta, mas especialistas planejam um retorno gradativo dividido em três etapas: 

1 – Regional: viagens de carro para destinos próximos com autonomia para decidir quando ir e voltar, onde ficar, etc. Veja algumas dicas no post Viagem de carro após a quarentena que pode ajudar muito o seu planejamento.

2 – Nacional: trajetos de âmbito nacional, especialmente para o Nordeste (segundo pesquisa realizada pelo site Panrotas, o Nordeste é o destino mais cobiçado pelos “quareteirners”).

3 – Internacional: A terceira etapa só irá acontecer realmente quando a pandemia estiver controlada. No Brasil não há previsão. Entretanto, países como os da União Europeia ensaiam abrir fronteiras internas. Cingapura e China já autorizam viagem essenciais entre ambos, mantendo cuidados como testes para Covid-19 em aeroportos e monitoramento de itinerário. A previsão dos especialistas é de quem dezembro de 2020 haja uma discreta procura por voos internacionais. 

O que esperar das novas viagens

Lembra do Atentado de 11 de Setembro? Depois desse episódio ocorreram mudanças significativas em relação à segurança em aeroportos e locais públicos. Provavelmente o que veremos nos próximos meses são procedimentos de higiene que serão incorporados nesses locais para prevenir a transmissão de Coronavírus.

As máscaras devem ser item indispensável para transitar, assim como a higienização das mãos com álcool em gel antes de entrar nos estabelecimentos. A China estuda implementar algo como um “passaporte sanitário” com comprovação que o cidadão testou negativo para Covid-19. 

Outras ações em locais turísticos é o reforço de medidas sanitárias e diminuição da capacidade de pessoas dentro de transporte público ou atrações turísticas. Empresas que vendem seguro-viagem aumentaram a cobertura médica para Coronavírus.

As restrições migratórias tendem a aumentar, principalmente para países que não estão sabendo controlar a pandemia. O Brasil está entre esses países e já me dá uma dor no coração em pensar que nossos passaportes devem ser recusados em muitos lugares.

As medidas de higiene também tendem a aumentar dentro de ônibus de viagens, navios e aeronaves. Inclusive, pode-se esperar que o tempo em terra das aeronaves para higienização aumente, consequentemente aumenta nosso tempo de espera antes de embarcar.

O novo viajante

Será que vamos manter a distância de 1 metro nas filas ou deixar de abraçar conhecidos? Ainda não sabemos ao certo como os turistas irão se comportar nos próximos meses, mas tendo em vista o cenário em que nos encontramos, essas são as previsões: 

Hiperconectado: O novo viajante fará todo o planejamento da viagem pela internet, a busca pelo destino, a compra das passagens, reservas, checkins. Sites, aplicativos, blogs e redes sociais farão 100% parte do processo. As empresas de viagens que não estão preparadas para essa realidade dificilmente irão sobreviver.

Consciente: Essa é tendência que já abordamos por aqui e que também se acelerou com a pandemia. O novo viajante está mais consciente em relação ao que consome, de quem consome e se esse consumo é realmente necessário.

Longe das aglomerações: Lugares lotados são inviáveis na atualidade. Até mesmo quando o isolamento social terminar, muitos viajantes irão evitar aglomerações. Destinos menos badalados serão a preferência dos turistas.

Sustentável: Empresas com iniciativas de preservação do meio ambiente ou com responsabilidade social estarão mais aptas a serem valorizadas pelos turistas.

Econômico: Os novos turistas estão conscientes da redução de sua renda após a pandemia, por isso tendem a preferir viagens econômicas, com um bom custo-benefício.

Valor à comunidade local: Durante a pandemia, a filosofia “compre do pequeno” esteve ainda mais evidente, mostrando a importância de apoiar o mercado local. O novo viajante dará valor a negócios locais e produtos regionais para ajudar na recuperação econômica do destino visitado.

Artesanato local estará em alta.

Preocupação com higiene: A preocupação com medidas de segurança sanitária em todos os estabelecimentos visitados pelos viajantes farão com que as empresas sejam mais rígidas em relação às regras de higiene. Locais com alto padrão de segurança alimentar e sanitária estarão na preferência dos turistas. 

O nível de exigência de medidas de higiene em estabelecimentos aumentou.
Imagem: Karolina Grabowska

Flexibilidade: os novos viajantes darão preferência para empresas que oferecerem mais flexibilização de seus serviços, como alterações de datas ou cancelamentos. 

Delivery: Os novos viajantes darão preferência para serviços alimentícios com delivery, para comer dentro do carro ou no quarto. 

Destinos e experiências no turismo pós-quarentena

A primeira tendência nesse novo mercado de turismo são os destinos com turismo pouco explorado, seguido de experiências exclusivas que contemplem pequenos grupos. 

Depois de passar tanto tempo em casa, os viajantes irão preferir destinos com bastante ar livre, natureza e pequenos hotéis. Turismo rural, ecoturismo, turismo de aventura e gastronomia estão entre as atividades em alta segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT).

Experiências ao ar livre para compensar tantos dias de isolamento dentro de casa.
Imagem: Artem Beliaikin

Em relação aos destinos internacionais, os especialistas apostam em destinos que registraram número baixo de infectados por Coronavírus e também os países que souberam diminuir os impactos da pandemia. Entre eles:

  • Costa Rica
  • Cuba
  • Jamaica
  • Jordânia
  • Maldivas
  • Marrocos
  • Montenegro
  • Hungria
  • Líbano
  • Lituânia

Você se sentirá mais seguro para viajar com essas mudanças no turismo pós-quarentena?  Se quiser mais informações sobre viagens, inscreva-se na minha newsletter!

Compartilhe:

2016 Julia Maiorana | Desenvolvido e gerenciado por gCampaner

Muitas imagens utilizadas neste blog vêm de fontes diversas e muitas vezes não autorizadas. Se alguma foto de sua autoria estiver no blog e você desejar a remoção ou os devidos créditos, por favor envie um email para [email protected] que prontamente atenderei à solicitação.